fbpx

Jesus comia carne? | Quadrinhos Veganos #8

por veganizadores
Jesus - Cristianismo - Veganismo - Vegano - Animais

“A Bíblia pode ser usada para justificar qualquer posição”. Até certo ponto, essa afirmação é justa e é justamente onde entra a Teologia para interpretar e dar sentido aos textos sagrados. Isso serve para qualquer religião.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Vamos refletir…
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

  • Jesus Vegano Veganismo - Quadrinhos Veganos
  • As únicas escrituras que retratam Jesus comendo ou fornecendo carne de qualquer tipo são: o Jesus pós-ressurreição que é retratado comendo peixe com os discípulos; durante sua vida ele é retratado multiplicando pães e peixes para alimentar os camponeses que se reuniam para ouvi-lo pregar.
  • Jesus falava aramaico, os Evangelhos foram escritos gerações após a ressurreição, em hebraico. Mais de 300 anos, temos duas traduções, e muitas transcrições depois da ressurreição.
  • As evidências indicam que as histórias pós-ressurreição são adições tardias aos Evangelhos, e que os relatos mais antigos do milagre da multiplicação originalmente não incluía peixe.
  • A maioria dos estudiosos concorda que as histórias pós-ressurreição de Jesus comendo peixe foram adicionadas aos Evangelhos muito tempo depois destes terem sido escritos, a fim de decidir várias cismas na Igreja primitiva (i.e. marcionites e outros cristãos primitivos acreditavam que Jesus não tinha retornado na própria carne e osso. Que maneira melhor de provar que o fizera, do que retratá-lo comendo?), o que nos leva a percepção que os escribas modificaram para suprir interesses da época.
  • Peixes foram adicionados à história por escribas gregos, provavelmente porque a palavra grega para peixe, ixous, é uma acronímia da frase “Jesus Cristo Filho de Deus Salvador”. De fato, o peixe ainda é um símbolo do Cristianismo até hoje. Nesta interpretação bastante provável, a multiplicação representa uma previsão do desenvolvimento da Igreja, e não tem nada a ver com comer animais.
    – Alguns estudiosos afirmam que a palavra grega para o inglês “fishweed” (um tipo de alga seca), tem sido traduzida erroneamente nesta história como “peixe” (vide Rosen, Estudos Eruditos). Certamente é verdade que algas secas seriam bem mais prováveis numa cesta com pão, e “fishweed” continua sendo um alimento popular entre os camponeses palestinos tais como as pessoas a quem Jesus falava.
  • Lembre-se, historicamente, as escrituras foram usadas para justificar a escravidão, abuso infantil, abuso conjugal e outros tipos de abusos que hoje são de forma geral considerados absurdos, portanto devemos ser cuidadosos de não as utilizar erroneamente para justificar o assassinato de animais.

A verdade é que são tantas passagens e informações que podemos analisar que deixa uma grande dúvida sobre o que foi ou não modificado. Esse tema merece um post exclusivo com muitas análises. Faremos não só a análise do cristianismo em si, mas de várias outras religiões.

E a magia da coisa é que NINGUÉM até o momento conseguiu PROVAR a existência de DEUS (de qualquer religião) e ao mesmo tempo NINGUÉM conseguiu PROVAR que DEUS não existe!

Ou seja, mesmo que seja provado que passagem X ou Y foi escrita ou traduzida corretamente, sem a possibilidade de provar a existência divina, qualquer ato baseado em religiões para fazer o mau como muitos utilizam de artifício são inválidos a priori, não há como justificar um ato baseado em algo que até o momento é impossível ser provado.

Acredite no que quiser, siga o que quiser, só não use religiões como justificativa para fazer coisas ruins, tem tanta coisa boa para absorver em livros religiosos, é só não se perder no caminho.

Deixe seu comentário :)

Confira Também